Árvore de Natal solidária

Nesse fim de semana rolou a festa de Natal do grupo voluntário que Lu e eu participamos. Todos os sábados nós damos aulas de reforço escolar para crianças de 10 a 12 anos de idade. A ideia dessa confraternização natalina era produzir a decoração da festa utilizando materiais baratinhos ou recicláveis, assim nossos alunos poderiam fazer em suas casas.

Vela feita com lata de alumínio e CD como suporte

Tudo começou na escolha da árvore pois queríamos que fosse algo realmente barato. Então, uma voluntária se ofereceu para doar um galho da poda habitual das árvores de seu sítio. Outra pessoa ficou responsável por lixar e pintar a árvore com uma tinta branca que sobrou de outra atividade. Arrumamos os galhos em uma lata de tinta vazia utilizando algumas pedras para mantê-los na posição correta e voilà temos uma Árvore de Natal! Agora era pensar nos enfeites!

Várias ideias sendo compartilhadas pelo e-mail e WhatsApp durante as semanas antes da festa e a única coisa que eu pesquei foi que eu precisava juntar rolos de papelão do papel higiênico e papel toalha. Pedi para família, amigos, etc. e acabei passando semanas com aqueles rolinhos na bolsa andando pra cima e pra baixo hahaha.

Lu e eu planejávamos procurar exatamente o que faríamos com as crianças e treinar antes de ensiná-las é claro. Mas nossos planos foram por água abaixo por causa do trabalho. Calhou de nós duas estarmos MUITO ocupadas a semana inteira e não tivemos tempo de ver nada. Então sábado de manhã, fomos com a cara, a coragem e minha bolsa cheia de rolinhos de papel higiênico tentar fazer estrelinhas para árvore de natal!

Como disse o poeta Fernando Sabino “no fim tudo dá certo”, e deu mesmo! Ainda que não tenhamos tido tempo de nos preparar, na hora tudo fluiu e a árvore ficou linda. Como havia enfeites de todas as turmas das diferentes idades, havia alguns mais elaborados. Confesso que me surpreendeu o fato de ter ficado tão linda. Acho que eu esperava bem menos… provavelmente eu só estava levando em conta o meu despreparo haha. Mas meus colegas de trabalho estavam preparadíssimos e mandaram muito bem não foi?

Enfeites natalinos comprados pelo mundo

Em dezembro de 2012, por influência de uma amiga paulissssta muito querida, eu resolvi começar uma coleção de enfeites de natal!

Na época, eu colecionava cartões postais, que comprava em cada cidade que eu visitava. Depois que eu enchi o quadro do meu quarto, fui perdendo o gosto em comprar mais postais. No fim, eles acabavam ficando entulhados em uma gaveta cheia de papéis. A preguiça não deixou a ideia de fazer um revezamento de postais no quadro e eu acabava sempre com os mesmos lá pendurados.

2015-11-29 17.13.55

E foi por isso que a coleção de enfeites natalinos me cativou! Eu continuo trazendo uma lembrança das cidades que visito, mas sem entulhar minhas gavetas. Afinal, enfeite de natal eu tenho que ter e uso todo ano mesmo!

É uma delícia abrir cada um deles e ir me lembrando onde eu comprei, o que eu estava fazendo… Todos trazem alguma história! A ideia é comprar algo típico do lugar e, de preferência, feito à mão né?! Tem um casal de cangaceiros que comprei em João Pessoa quando fui visitar minha avó, uma bola de Paris, passarinhos da Amazônia comprados em Porto Velho, a hamsá (“mão protetora”) do Marrocos, etc.

2015-11-29 20.56.43

Nem sempre é fácil de achar algo que sirva de enfeite, mas a busca também é parte da diversão! Eu morri de amores por Praga, não apenas pela beleza da cidade, mas porque achei uma loja só de enfeites de natal em pleno abril hahaha. Foi muita emoção!!

Esse ano eu convidei a Mi pra montar a árvore comigo e resolvemos fazer um vídeo, que eu editei e postei no nosso canal. Os enfeites são uma verdadeira inspiração!! Dá uma olhada!

Exposição Sentidos do Nascer

Há umas semanas dei um pulinho na Praça Tiradentes, no Centro do Rio de Janeiro, para conferir a exposição Sentidos do Nascer. Vi a divulgação na internet e não quis perder a última semana do evento na cidade. E ainda levei o marido, afinal, eu não estou sozinha nessa! Rsrs

1

Fui na expectativa de encontrar uma exposição de fotos de bebês no momento do nascimento, de mães recebendo seus filhos recém-nascidos nos braços…ou qualquer coisa do tipo.

Nada dissooooo! A exposição tem como objetivo contribuir para a mudança da percepção sobre o nascimento, incentivando a valorização do parto normal para a redução da cesariana, quando desnecessária.

Assim que chegamos, fomos surpreendidos com o oferecimento de uma visita guiada, e aceitamos! Os grupos para a visita estavam sendo organizados por número. Enquanto aguardávamos a nossa vez, ficamos em uma área em que estava rolando uma conversa em que nós, a plateia, era esclarecida por profissionais da saúde sobre os mais diversos assuntos relacionados à gestação e ao parto. Nessa área também eram exibidos vídeos explicativos, vídeos de partos naturais, tudo muito interessante.

WP_20150724_005

Sala de conversas

Foi nessa conversa que começaram a ser desconstruídas algumas ideias que faziam parte do que sabíamos sobre esse momento: o nascimento. Tomamos conhecimento sobre a real necessidade da episiotomia (aquele corte feito na região do períneo), do toque, da administração de soro com ocitocina, as mais adequadas posições para facilitar o parto, o banho quente, a bola de pilates, entre outras informações importantíssimas para a autonomia da gestante nesse momento, que pode ser sublime ou não.

Chegada a nossa hora para a visita guiada, seguimos para um local escuro, em que ficamos grávidos!

Luciana

Eu e o marido grávidos.

Em seguida, fomos convidados a entrar no mercado do parto, uma sátira de tudo o que é oferecido para a gestante no grande momento. Tem de tudo gente, e para todos os gostos! Não me interessei por nenhum produto!

IMG-20150730-WA0008

Mercado do parto.

Depois, participamos de um diálogo com pontos que pesam na decisão pela cesária ou parto normal. Meu Deus, como a mulher sofre! É muita pressão.

WP_20150724_002

Parto normal ou cesária?

A exposição termina no útero, e então nascemos cheios de novas percepções sobre o parto.

É realmente muito interessante e esclarece muitas questões, vale muito a pena. Principalmente, para aquelas gestantes de primeira viagem ou não que não tiveram as informações necessárias para escolher o tipo de parto. Aquele que será melhor para ela e para o bebê, e não apenas o conveniente para o profissional.

Eu apoio o parto normal sim, mas sugiro que você se informe, tire suas conclusões e tome a melhor decisão!

Ainda dá tempo de ver a exposição ela estará de 1 a 30 de agosto no Caminho Niemeyer, em Niterói/RJ. A entrada é gratuita!

Segue o link de um vídeo com mais detalhes feito pelo Canal Saúde da Fiocruz!!!

Doando um pouquinho de mim

Hoje foi dia de doar sangue!

Que emoção, finalmente, ter conseguido cumprir esse compromisso que já estava na minha lista há tempo.

Na verdade, tive um empurrão, um motivo maior para ir. A mãe de uma amiga minha está internada precisando muito de doações de sangue, então mais que rapidamente encontrei um horário na agenda.

Aqui no Rio de Janeiro, o HEMORIO é quem presta assistência em hematologia e hemoterapia à população do estado. Para encontrar o Hemocentro da sua cidade click aqui.

Chegando lá, atualizei meu cadastro, alterei meu nome para o de casada e conferi se minhas informações estavam corretas no REDOME (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea), mudei alguns contatos e tudo certo!

Doe sangue 3O Hemorio estava com poucos doadores, então foi tudo bem rápido se comparado às quase 10 horas que já aguardei para doar sangue em dia de emergência.

Depois de levar um mega susto ao ver na minha ficha que havia alguns anos que eu não doava sangue, passei pela triagem para conferir o preenchimento do questionário, se o peso estava adequado e se não apresentava indícios de anemia. Tudo certo! Fui liberada para doar!

Nesse momento, fui encaminhada para lanchar, o que significa tomar 3 copos de suco bem doce, comer um pacote de biscoito e algumas balinhas. Sempre acho que não vou conseguir dar conta, mas eu estava determinada rsrs.

Hora de doar! A profissional que me atendeu parecia ter mãos de anjo, elogiou minha veia, acertou de primeira, e eu só senti o incômodo da agulha mesmo, nada de mais.

Primeiro, foram coletadas alíquotas de sangue para exames e só depois aconteceu a doação propriamente dita.

O ambiente estava agradável, eu, a responsável pela coleta e outro doador estávamos em uma conversa bem amistosa. Tentei pensar somente em coisas boas para quem pudesse receber aquele pouquinho de mim… Foram pouco mais de 400 mL, e eu não senti nenhum mal estar.

Terminada a doação, segui para o refeitório para receber mais um lanche.

Voltei para casa agradecida por essa oportunidade!

O Hemorio fica localizado na Rua Frei Caneca, 08 – Centro – RJ. Seu horário de funcionamento é 07:00 às 18:00 horas, de segunda a domingo, incluindo feriados. Você pode esclarecer suas dúvidas ligando para o Disque-Sangue: 0800-2820708.

Sabe qual o tipo de sangue eles mais precisam? O seu! Doe vida!

Doe sangue 2

Passarinhos no laboratório! Ideias para um chá de fralda

Poucas coisas são capazes de trazer tanta alegria como o nascimento de uma criança! E é exatamente assim que nós do laboratório estamos nos sentindo: felizes por estar próxima a chegada de uma menininha fofa, linda e já tão querida, a Julia, filhota da Bê!

Por isso, decidimos realizar e, melhor ainda, organizar o chá de fraldas dela! Neste instante, as ideias borbulham! Apesar de ainda não termos essa experiência, as inspirações na internet são muitas!

Precisávamos de algo que pudéssemos preparar em paralelo à rotina de trabalho, e que fosse pequeno, de acordo com nosso espaço, mas nem por isso deixasse de ser bonito e charmoso!

Com muito carinho!

Colocamos todas as ideias no papel, o que incluía marcadores de páginas como lembrança, bisnagas de chocolate, bem-nascidos, bolo de fraldas e cupcakes! Colocamos sebo nas canelas e partimos para o Mercadão de Madureira (sempre lá! rs).

Com o objetivo de fazer marcadores de páginas de feltro (inspiração que tivemos do chá de bebê de outra amiga), adquirimos retalhos com três tons diferentes de rosa, além de fita branca de tecido (perfeitos para o que queríamos). Eu, entusiasmada com a ideia de realizar algo novo para mim, não hesitei. Seriam passarinhos, ou como eu chamei, “passarinhas de feltro”, simples e delicadas.

Encontrei muitos modelos na internet, e fiquei surpresa ao descobrir que se passa blush de verdade em alguns para ficarem com as bochechas rosadas! Ri sozinha! Que coisa, gente!

Fazendo o molde dos corpos dos passarinhos.

Fazendo o molde dos corpos dos passarinhos.

Com o material em mãos, fiz os moldes (utilizei a nossa própria inspiração como molde, foi mara!). Recortei oito passarinhos de cada tom de rosa, e assim ficaram:

Recortados.

Recortados.

Molde das asas.

Molde das asas.

As três tonalidades de rosa escolhidas.

As três tonalidades de rosa escolhidas.

Como era um marcador de páginas, tinha que colocar algo na outra ponta da fita para dar peso e o acabamento ficar harmonioso! A intenção era de fazer a letra “J” (inicial do nome da bebê), mas não deu muito certo rs, pois ficou parecendo um “L”. Rapidamente, entrei em contato com a Chris para desabafar sobre minha escassez de habilidade naquele momento e ela me deu total apoio para fazer corações. Ufa! Bem melhor!

Tudo certo para eu iniciar o processo de colagem, mas como já eram 23 h, e eu estava para lá de Bagdá e com os dedos doloridos de recortar, deixei para o dia seguinte. Mas estava bem empolgada com tanta novidade!

No outro dia, consegui terminar. Colei as duas partes do corpo, os corações e as asas. Para dar um charme nas asas colei tecido (sugestão da Chris), e também uma pedrinha que eu havia comprado na época do meu casamento, para colocar no bolo (…até que minha mãe e meu primo Di me chamaram  a atenção, dizendo que eu não podia fazer aquilo, já que não eram comestíveis, eram para carro! Meu Deus, que mico… Loucuras de noiva, sabem como é!).

Passarinhas quase finalizadas.

Passarinhas quase finalizadas.

Ficaram faltando só os olhinhos, que queria fazer fechados, e a Kenia ficou de me ensinar um ponto chamado “pesponto”.

Fiz tudo utilizando cola quente, foi minha primeira vez! Tenho que confessar para vocês que adorei o “brinquedinho” (Mesmo tendo queimado os dedos rs)! O que seria de mim sem ela? Foi muito legal! Recorri à internet para saber como usar, coisa de principiante, mas aprendi coisas bem úteis como utilizar outro tubo de cola para empurrar o que já está sendo finalizado na pistola, cortar aqueles fios de cola que ficam com auxílio de uma tesoura e o mais importante para mim: NÃO COLOCAR MUITA COLA!!! Huahauahau

Quando a Kenia foi me ensinar a fazer o pesponto, percebemos que teria sido melhor fazê-lo antes de colar as duas partes do corpo. Aí bateu uma tristeza porque do jeito que estava até daria para fazer, porém, eu precisaria de muito mais tempo, e não tinha. Então, optamos pelos olhinhos feitos com canetinha.

Marcador de página finalizado!

Marcador de página finalizado!

Não ficou como eu desejava, mas também não ficou de todo mau para uma primeira vez!

Lembrança finalizada parti para o próximo passo: os bem-nascidos!

Fiz o bolo de laranja com coco que todo mundo adora. Na hora de cortar utilizei o meu mais novo brinquedinho: o aro cortador quadradinho no tamanho perfeito! Ai Rê, minha querida amiga, o que teria sido de nós com isso em mãos…teríamos sido mais felizes…hauahaua

Olha meu aro cortador que tanto me ajudou!

Olha meu aro cortador que tanto me ajudou!

Bem-nascidos já com recheio de doce de leite e embalados em celofane!Finalizados.

O dia do chá de fraldas chegou e cuidamos de toda a decoração com direito a bolo de fraldas e tudo! Ficou tudo bem delicado!

WP_20150602_002

Nosso bolo de fraldas.

WP_20150602_004

Os bem-nascidos nessa cestinha linda e as bisnaguinhas personalizadas de chocolate que a Chris fez.

WP_20150602_006

As lembrancinhas para os convidados e as cupcakes que a Chris fez.

WP_20150602_005

Utilizamos um espaço pequeno para montar tudo.

WP_20150602_010

Os bolos da Julia!

Os amigos que comparecerem levaram algo bem delicioso para comer ou beber, e assim passamos uma tarde muito agradável, cheia de conversas, risadas e alegria para celebrar a chegada da Julia!

E assim foi o chá de fraldas da Julia!

Patchwork e Rock and Roll, baby

Dia desses, durante meus passeios pelas lojas de tecidos, achei um que é a cara de uma amiga minha dos tempos longínquos do cursinho de inglês, a Karen. Não resisti e comprei!

2015-07-31 17.48.27Minha mãe e eu começamos a procurar ideias com a temática Rock and Roll, porque né, nem só de coisas frufrus vive o artesanato! Além dela, meu cunhado é guitarrista do Brazilian Maiden (o melhor cover de Iron Maiden evah! haha), então nós já tínhamos pra quem pedir palpites!

E foi assim que nós criamos esse pano  de prato!! Uma mistura de fofurice, preto e banco (combinação sempre chique, adoro!) e caveirinhas. Não ficou legal?!

2015-04-23 20.03.52O pessoal por aqui gostou! Vou deixar o molde disponível aqui.

Na verdade, eu mesma já tive minha fase muito Rock and Roll durante adolescência. Hoje, eu continuo curtindo rock, mas abandonei o estilo rockeira de ser. Aliás, esse fim de semana tem um super show pra eu ir e relembrar a época da escola. Vai ter cover de Guns, Nirvana, Pearl Jam e muito mais!!!!

O show será neste domingo, 02 de agosto, à partir das 17h, em Cascadura! Adicione a página dos organizadores no Facebook para mais informações, e nos vemos lá domingo!

Tiradentes

SONY DSC

No dia seguinte, nós resolvemos esticar a trip até Tiradentes, cidade que nenhum de nós conhecia ainda. Eu, afortunadamente, tive oportunidades de ir a Minas Gerais várias vezes. Mas pra fechar o pacote de cidades queridas para conhecer faltava Tiradentes, e ainda falta Ouro Preto (uma coisa de cada vez, né?!). Então, lá fomos nós para a estrada outra vez, depois de um café da manhã super animado, com direito a bolinho de chuva e tudo! (Esse negócio de ter amigos fazendo curso de gastronomia é tudo, né?! Thanks God!)

Quando chegamos a Tiradentes, aqueles casarões coloniais começaram a aparecer, muito antes de chegarmos ao Centro Histórico. Era um mais lindo do que o outro, e me faziam lembrar aquelas fotos dos livros de História, do século XVIII, dos capítulos que relatavam a época da exploração do ouro no Brasil e a Inconfidência Mineira.

SONY DSCAliás, o nome da cidade é uma homenagem a Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, líder do planejamento da revolta. A criação da “derrama” pela Coroa portuguesa dava, aos soldados, o direito de invadir casas e retirar os objetos de valor das famílias para completar o valor (absurdo!) do imposto cobrado pela exploração do ouro na região. É claro que isso gerou uma insatisfação enorme! Só que nessa confusão, o governo português acabou desmantelando a revolta, em 1789, prendendo nosso Tiradentes, que depois foi enforcado e esquartejado.

SONY DSCTriste fim para ele, mas tudo o que fez merece ser lembrado. Até porque o mais legal de viajar, para mim, é poder ficar imaginando como as coisas aconteciam na época. Andar pelas ruas de pedra, passar por portas de madeira bem antigas, caminhos estreitos, e ficar imaginando como as pessoas viviam ali. Adoro fazer esforço para lembrar das aulas de História, ler guias, placas dos museus, etc. É como se eu estivesse voltando no tempo!!

SONY DSCE Tiradentes é uma cidade linda, e muito bem preservada! Não sei porquê eu achava que só a praça central seria assim bonitinha, pois não importava para onde andávamos, todas as casinhas eram ajeitadinhas. Nem preciso dizer que amei a cidade!! Só faltou aquela feirinha de artesanato esperta. Talvez tenha sido por causa do dia da semana em que fomos, mas deu  para apreciar alguma coisa nas lojinhas.

SONY DSC

Voltamos para a estrada bem cansados, porém contentes com tudo o que vimos!! Além de muitos papos, tínhamos um CD do Lulu Santos para embalar as curvas da serra, cantando bem alto porque “não há tempo que volte, amor vamos viver tudo que há pra viver”.

A natureza é uma arte

DSC_0020Fim de semana passado fui visitar um casal de amigos muito queridos, que mora em Juiz de Fora, Minas Gerais. Eu não estava muito animada para ir, mas outros amigos resolveram se juntar e, com o argumento de deixar os custos da viagem lá embaixo, eles me convenceram. A condição era que eu fosse a motorista e eu topei!!

Mochilão preparado e guloseimas de viagem compradas, o plano era passar o sábado no Parque Estadual de Ibitipoca, que fica a cerca de 90 Km de Juiz de Fora. O parque já foi eleito pelo Trip Advisor como o terceiro melhor da América Latina e segundo do Brasil, com certeza não foi à toa! Além da natureza exuberante, a estrutura para turistas é ótima, com trilhas muito bem sinalizadas.

Enquanto subíamos a serra, já dava pra notar a diferença na vegetação, que deixava de ser Mata Atlântica pra ficar mais parecida com o cerrado. Adoro essas mudanças! Quando começamos a nossa caminhada  fomos presenteados com um cenário mais lindo do que o outro!

Fizemos o Circuito das Águas, então fomos seguindo o percurso dos córregos até chegar à Cachoeira dos Macacos. Era tudo tão, tão lindo que parecia ter sido cuidadosamente alocado em lugares específicos para compor o cenário perfeito.

DSC_0067A coloração escurecida da água é devido à presença de ferro nas rochas daquela região. Por isso, todas as pequenas lagoas ficam praticamente marrons, deixando a paisagem ainda mais linda e diferente! Duas amigas foram corajosas o suficiente para entrar naquela água gélida. Mas eu, só de enfiar a mão, percebi que não queria enfiar o meu corpo inteiro naquele gelo! hahaha. Pelo menos, a Lu me acompanhou!

Não deu pra evitar aqueles momentos de reflexão em que eu me sentia admirando uma obra arte! Principalmente quando, nos mirantes, tínhamos aquela vista típica de Minas Gerais: um amontado de montanhas arredondas, parecendo uma colcha de retalhos feita em vários tons de azul esverdeado. Lindo, lindo, lindo!

Voltamos para o carro no fim do dia felizes, contentes e cansados, mas, com certeza, muito agradecidos por termos tido a oportunidade de apreciar a natureza e sua arte!

Chá de casa nova – A decoração

O dia estava se aproximando e eu tinha que pensar em uma decoração simples e aconchegante. Lembrei que minha mãe querida tinha umas garrafas pintadas de amarelo, perfeitas para mim! Consegui também uns vidros desses que vêm com milho e azeitona. Decorei com uma fita coral e outra dourada que tinha em casa. No dia anterior ao chá, Chris e eu fomos ao Mercadão e compramos flores, margaridas amarelas e chuvisco, para dar um volume aos arranjos que faríamos.

Veja a delicadeza que ficaram já com as flores:

WP_20141010_002WP_20141010_001

Nesse mesmo dia, cheguei em casa correndo para preparar o bolo que me comprometi em levar, o de coco. Eu não poderia levar outro, pois esse é o preferido das minhas queridas amigas! A Chris fez cupckes. Meu Deus! Tudo maravilhoso! Cada uma das convidadas levou algo bem saboroso para passarmos a tarde.

Já no local em que seria realizado o chá, colocamos as lembranças em uma cestinha.

Chá de casa nova-10.10.2014 (4)

Organizamos as cupcakes em um lindo suporte de dois andares.

Chá de casa nova-10.10.2014 (6)

A Chris utilizou dois porta-retratos que deram mais cor ao ambiente.

altAm62SadriidMF2EyfnsYCCjXZCcO4PKYWNIii4yEirlhChá de casa nova-10.10.2014 (3)

E tudo ficou assim, lindo!

Chá de casa nova-10.10.2014 (2)

Esse é o famoso bolo gelado de coco!

Chá de casa nova-10.10.2014 (5)

O vidro decorado com a fita coral e as flores!

Chá de casa nova-10.10.2014 (7)

As garrafas amarelas e o vidro com a fita dourada, acompanhando a minha foto com meu Ju.

O conjunto!

O conjunto!

E assim foi: uma tarde mais do que agradável, com muitas brincadeiras e boas gargalhadas. Gargalhadas daquelas que só nós sabemos dar, que nos fazem acalmar e querer estar juntas sempre!

Eu amei tudo o que fizemos. Não teria sido tão “mara” se não fosse por cada uma! Deve ser por isso que dizem que quem tem amigos tem tudo!

Dias depois, fui presenteada por mais um chá de casa nova, e vocês já podem imaginar como decorei tudo, não é?!