Como tudo começou

Era uma vez…numa bela tarde de primavera e de faxina aqui em casa, encontrei perdido num canto (não foi um sapo e nem príncipe encantado!rs) um saco cheio de coisas que eu havia largado ali há meses. Abri para ver o que era e encontrei várias roupas que estavam sumidas fazia tempo. Eram coisas que estavam guardadas para costurar ou fazer pequenos reparos. Abri o saco e fui separando o que ainda servia para consertar, quando encontrei uma bolsa que havia comprado durante um congresso que fui em Fortaleza.

fortress-459573_1280Ah, Fortaleza, que saudade! Na praia de Iracema há uma feirinha de artesanato à noite, que, sem dúvidas, foi a melhor em que já estive até hoje! Tudo que se pode imaginar de artesanato tinha lá, e o melhor, tudo muito baratinho, com direito à pechincha e um bom desconto! Comprei tanta coisa nessa viagem! Voltei pobre, mas feliz, com a mala lotada e o desejo de voltar um dia levando uma bolsa extra só para trazer artesanato…ah, se eu fosse rica…

Bem, mas como eu disse, achei essa bolsa, que precisava trocar o zíper. Fiquei olhando pra ela e me dei conta de que não sabia fazer isso, nunca tinha feito na vida! Minha mãe é que costumava fazer esses reparos para mim. Então, vi ao lado da máquina de costura, um pedaço de retalho. Procurei um pouco mais e encontrei um zíper pequeno (detalhe que não combinava com o tecido, mas quem se importa?), e aí veio a luz: por que eu não tento prendê-lo no retalho? Se eu conseguir, acho que me sentirei capaz de consertar minha amada bolsa de Fortaleza!

Como não sabia nem por onde começar, fui para a internet em busca de vídeos que ensinassem o passo a passo. Assisti a muitos até entender a ideia. Fui para a máquina e mãos à obra! Eis que surgiu minha primeira bolsinha, perfeita!

A primeira

Fiquei tão empolgada com a bolsinha, que no dia seguinte fui às compras! (eu nem gosto de comprar…rs – uma pausa para contar que eu tenho fama – injusta! – de consumista, segundo a Kenia. Só porque num congresso que fomos juntas em Águas de Lindóia/SP, comprei, sei lá, uns 10 casacos numa feirinha de artesanato. Voltei da feira com um saco tão grande que mal aguentava carregar, e aí a fama só aumentou com o passar do tempo. Em minha defesa, digo que fiz isso porque não tinha casaco e eles eram lindos, e muito baratos! Mas aprendi que não adianta me defender. Aceita a fama que dói menos!hahhaa)

DSC00936Já que a minha bolsinha deu certo, fui em busca de tecidos, maaaais zíper, lacinhos…para tentar fazer outras! Fiz uma nécessaire com estampa linda de cupcake e dei de presente para a minha cunhada, que adorou! Comecei a ver que eu estava no caminho certo!

2014-11-15 19.46.36Se ela gostou, outras amigas poderiam gostar! Na bolsa de Fortaleza não estava o príncipe (este eu encontrei em outro lugar!rs), mas o despertar de uma nova paixão, que estava escondida e que nem eu sabia que existia. Enfim, nada é por acaso…

Anúncios

Deixe seu pitaco!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s