Patchwork e Rock and Roll, baby

Dia desses, durante meus passeios pelas lojas de tecidos, achei um que é a cara de uma amiga minha dos tempos longínquos do cursinho de inglês, a Karen. Não resisti e comprei!

2015-07-31 17.48.27Minha mãe e eu começamos a procurar ideias com a temática Rock and Roll, porque né, nem só de coisas frufrus vive o artesanato! Além dela, meu cunhado é guitarrista do Brazilian Maiden (o melhor cover de Iron Maiden evah! haha), então nós já tínhamos pra quem pedir palpites!

E foi assim que nós criamos esse pano  de prato!! Uma mistura de fofurice, preto e banco (combinação sempre chique, adoro!) e caveirinhas. Não ficou legal?!

2015-04-23 20.03.52O pessoal por aqui gostou! Vou deixar o molde disponível aqui.

Na verdade, eu mesma já tive minha fase muito Rock and Roll durante adolescência. Hoje, eu continuo curtindo rock, mas abandonei o estilo rockeira de ser. Aliás, esse fim de semana tem um super show pra eu ir e relembrar a época da escola. Vai ter cover de Guns, Nirvana, Pearl Jam e muito mais!!!!

O show será neste domingo, 02 de agosto, à partir das 17h, em Cascadura! Adicione a página dos organizadores no Facebook para mais informações, e nos vemos lá domingo!

Exposição Se Liga – Arte e Ciência

Esta semana, saímos um dia mais cedo do laboratório para irmos à exposição “Se Liga”, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), do Rio. É tão legal quando conseguimos fugir um pouco da rotina para fazer programas culturais! Sempre que vamos a congressos, damos um jeitinho de conhecer a cidade, fazer programações culturais e tals. Nada mais justo do que fazer o mesmo na nossa casa!

O que nos chamou atenção, a princípio, foi justamente o foco científico da obra que foi produzida por mais de 10 artistas plásticos. Uma mistura de Arte e Ciência, que tem tudo a ver com a gente!!

2015-05-20 15.59.12

Eles partem da premissa de que tanto a Ciência quanto a Arte se iniciam com a imaginação. Primeiro vem a ideia, a teoria, uma possibilidade. Tudo isso dentro da nossa cabeça, em um mundo abstrato. Depois, vem a fase do amadurecimento, da discussão, da análise daquilo que imaginamos. E só então é que a “coisa” pode se tornar realidade! Assim, é possível tanto produzir um lindo quadro, quanto realizar aquele experimento que pode comprovar, ou não, uma teoria. E tudo isso começa com a imaginação! Não é incrível?!

2015-05-20 15.49.00

A exposição foi produzida para atender a todas as idades, e nós realmente encontramos de tudo por lá. Inclusive turmas inteiras de estudantes, desde os mais pequenininhos aos adolescentes, que estavam bastante animados com tudo o que viam!

A gente também adorou! Havia bastante coisa que podíamos tocar, o que é sempre legal porque já estamos “treinadas” a não tocar em nada. Quando a gente pode mexer é até uma alegria a mais. haha! Se vc tá a fim de conferir, corre que ainda dá tempo! A exposição fica no CCBB-RJ até dia o 25 deste mês!

Sorteio: um mês de arte na praia!

ATUALIZADO 04.04.15

Já vai fazer um mês que nós começamos a escrever aqui. Como sempre, o tempo voou! Parece que foi ontem que almoçávamos na casa da Lu e discutíamos nosso lado artístico de ser!! Então, para comemorar, resolvemos sortear aqui no blog um dos porta-moedas mais vendidos (e amado!), que enviaremos pra qualquer lugar do Brasil!

sorteioPara participar você precisa compartilhar este post, curtir a nossa página no Facebook e deixar seu nome e e-mail nos comentários! O sorteio será realizado semana que vem, no dia da primeira publicação no blog, sábado, 04 de abril.

Participem!!

**ATUALIZAÇÃO**

E a ganhadora foi….

 

Michelle Santos

Parabéns!! Entraremos em contato para pegar seus dados de envio.

Por que vender arte na praia?

Nós passamos dez anos “estudando”, nos estressando e aí quando terminamos a graduação achamos que já tínhamos aprendido bastante. Mas resolvemos nos especializar fazendo um mestrado na esperança de aumentar as chances de inserção no mercado de trabalho. Só que aí, na verdade, a gente só aprendeu como caminha a Ciência, ou seja, errando mais do que acertando! Eu sei, eu sei, soa frustrante, né?! É porque é frustrante mesmo!! Só que ao mesmo tempo é um desafio, uma questão de honra terminar aquele raio de dissertação.

Finalmente, com nosso diploma suado na mão (yeahh!) o sistema vem e diz “queridas, o mestrado sem o doutorado é como nadar, nadar e morrer na praia!”. O quê??? Então voltamos, como cães arrependidos, para fazer a seleção de doutorado e “estudar” (trabalhar de segunda à segunda) por mais quatro anos, muitas vezes sem ganhar nem um tostão. Isso mesmo! Nossa vida de estudante de graduação ferrado, sem nenhum dindin no bolso continua por mais quatro anos!! Ai ai… assim é o amor pela ciência: padecer no paraíso.

Para não deixar o desespero e a depressão tomarem conta da gente, é preciso deixar para lá aquela preocupação que faz com que pensemos nos problemas do laboratório 24 horas por dia, e começar a viver um pouco (dentro do que nosso orçamento inexistente permite, é claro!). Passamos então a nos dedicar a coisas que proporcionem algum prazer como ir à praia perder aquela cor de laboratório, passear no parque e respirar ar sem solventes tóxicos, fazer trabalhos manuais (sem a necessidade do uso de luvas de látex, que deixam nossas mãos ressecadas), etc, etc…

SONY DSC

E assim, um novo mundo de alegrias surge no escasso tempo livre! As nossas avós vêm bater um papo sobre aquela nova revista de ponto de cruz que compramos, nossas mães “nos dão o bizu” para costurar aquele zíper, passamos a frequentar lojas de tecidos, grupos de artesãs no Facebook…

Em seguida, vêm os amigos e começam a comprar a nossa arte, pedindo cada dia mais e mais modelos diferentes, ativando aquele lado criativo e artístico dos nossos cérebros! Começam a cair uns trocados nos nossos porta-moedas estilizados e já dá pra não comer no bandejão alguns dias da semana. Muita alegria! Sem perceber nos transformamos em doutorandas artistas!!

Foi então que num almoço delicioso de um dia de verão caloroso, regado a muita conversa sobre nosso lado artístico, surgiu a ideia de compartilhar nossas descobertas do mundo da arte na internet. Nosso nome foi inspirado em um fluxograma compartilhado no Facebook, que para todas nós resultava em “vá vender a sua arte na praia”. Infelizmente, ir à praia todos os dias não é compatível com a rotina de laboratório, por isso criamos aqui a nossa “praia virtual” onde todos podem frequentar e dar pitacos!

Sejam bem-vindos!!